Software desenvolvido por professor do Unifeb é registrado pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI)
Home Software desenvolvido por professor do Unifeb é registrado pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI)

Software desenvolvido por professor do Unifeb é registrado pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI)

E-mail Imprimir PDF
Criado para facilitar a produção de escalas de trabalho para profissionais da área de enfermagem, um software desenvolvido pelo professor do curso de Sistemas de Informação do Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos (UNIFEB) - Dr. Alexandre Leite Rangel foi registrado no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

 
Segundo Rangel, com o sistema, os profissionais terão o trabalho de produzir escalas em poucos minutos, pois cada funcionário informa suas preferências de horário e o programa produz a escala automaticamente levando em consideração a lei trabalhista vigente. Ainda de acordo com o professor, a enfermagem foi escolhida devido a particularidades da área, porém não descarta aumentar a abrangência do software para outras profissões. “Com poucas modificações é possível prever que a formação de horários para professores, por exemplo, possa ser atingida facilmente”, afirmou.

 
Atualmente Rangel trabalha para que o software se torne um website, podendo ser acessado por qualquer empresa em todo o mundo, cobrando apenas a utilização e as escalas geradas. Antes da comercialização, o sistema deve passar por testes no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto ainda este ano.

 
O software foi desenvolvido durante o período de mestrado do docente, entre os anos de 2004 e 2007, sendo feitas melhorias posteriormente até o ano de 2010, quando o docente da instituição barretense estava em processo de doutorado. Segundo o Dr. Alexandre Rangel, as dificuldades durante o período incluíram dias e noites passadas em frente ao computador, esforço retribuído pelo sucesso em sua conquista. “Este momento é realmente único, espero que com o sistema, os profissionais possam se dedicar mais à assistência direta ao paciente”, disse.
 
 
Fonte: Cia. da Mensagem
Última atualização ( Qua, 27 de Março de 2013 18:54 )